O animal satisfeito dorme (Guimarães Rosa)

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Categorias de Base: As carrocinhas dos jogadores

Estava lendo uma entrevista da Marisa Gomes para o Jorge Maciel, que esta no seu trabalho monografico, e a entrevista ee muito interessante e tem varios aspectos que podem ser abordados. Uma coisa que ela falou, no entanto, me tocou e acho que seria interessante falar, ate porque de uma maneira direta ou indireta ja falamos disso, como por exemplo naquele post sobre os caminhos.

No treinamento de jovens futebolistas (dos mais jovens ate sei la 10 anos ou um pouco mais) o objetivo principal do treinador tem que ser em proporcionar aos seus jogadores uma diversidade de jogares.

Quando se treina com criancas nao se pode adotar um modelo de jogo, para se ter um modelo de treino e em seguida um modelo de jogador e pronto. Essa atitude significa castrar talentos, significa impossibilitar conhecimento, significa restringir o jogador, nao deixando ele se potencializar. Clubes e entidades que fazem isso estao errados. Talvez mais que errados, estao sendo criminosos. O jogador jovem ee extremamente "plastico", nao se pode lhe ensinar somente uma forma de se jogar futebol se ele pode aprender formas de se jogar futebol.

EE preciso proporcionar uma grande riqueza de jogares aos garotos. Para tanto, ee preciso os treinar sobre diferentes modelos de jogo, os colocando e delegando diferentes obrigacoes, requisitando pensar em novas respostas, os colocando em diferentes "posicoes" e sem os restringir, como por exemplo, isto esta errado nao faca dessa maneira o certa ee dessa outra, ou seja, ee necessario que o treino de jovens seja acima de tudo uma grande variabilidade, dessa maneira o talento tem mais chance de aparecer.

O Porto ja ee um dos maiores clubes europeus e talvez seja por isso que cada vez esteja se consolidando mais, porque tem profissionais que pensam. Outro exemplo que caberia citar ee o do Barcelona. Um garoto que ee acolhido nas bases do Barca nao chega para jogar e diz que ee atacante o eles o botam para jogar como atacante. Os jovens do Barca "rodam" em todas as posicoes ate encontrar a que melhor o caiba, e isso ee fundamental, ver o jogo sobre varios prismas.

E se nas categorias de base essa cultura de jogares for proporcionada aos jogadores, certamente quando estes estiverem em categorias mais avancadas, ou ate nos profissionais, terao muito mais facilidade para entender, treinar e incorporar as concepcoes de jogo dos seus futuros treinadores, pois obviamente tenderao a ser jogadores mais corajosos, inteligentes, com variabilidade e vivencias riquisimas ao nivel dos jogares, essa vivencia ee acima de tudo uma inteligencia corporea e mental.

E essa discussao proporcionada pela Marisa tem muito haver com frases daquele tipo: Ahh, nao se produzem mais Peles. Po, ee claro que nao se produzem mais Peles, hoje as coisas coadunam contra a existencia dos talentos, o futebol ee cada vez mais castrador e mecanico.

E hoje muitas categorias de base sao isso: Carrocinhas. Da mesma forma que elas pegavam os cachorros para os castrar, estao fazendo hoje com os nossos jovens jogadores.

2 comentários:

BMRP disse...

Boas!

Não é só o Porto e o Barcelona a trabalhar assim, os principais clubes de Lisboa ( Benfica, Sporting, Oeiras, Belenenses e bastantes mais )trabalham dessa maneira.

Proporcionam constantemente experiências diferentes dentro de campo aos seus jogadores para que possam ter uma aprendizagem completa.

Um dos maiores entraves a essa aprendizagem é o comportamento dos pais, que muitas vezes reclamam e quase que "impedem" esse comportamento por parte dos treinadores. E porquê?

Porque como se pode imaginar, um jogador tem diferentes tipos de rendimento nas várias posições. Mesmo com 10 anos, os jogadores têm mais caracteristicas de médio ala do que defesa, ou de médio centro do que avançado. E na procura do maior rendimento, há muitos pais a não querer essa rotação de posições.

Mal eles sabem que o treinador faz isso para o bem dos jovens jogadores.

É um tema de grande importancia. e era importante que mais pessoas fossem esclarecidas disto, para que não ficassem espantadas quando um jogador "muda de posição"

Bom Post!

João Henrique T.L.C disse...

Professor Bruno,

Valeu pela correcao dos clubes que pensam dessa maneira, logicamente sei que varios outros tambem devem pensar assim mas fico limitado ao que circula e vejo de alguma maneira na internet.

Em relacao aos pais, o professor falou muito bem, alguns realmente tentam atrapalhar o processo. Acima de tudo, muitas vezes lidamos com pessoas pouco esclarecidas, e se ja ee dificil explicar algumas coisas para quem tem uma mente "aberta" imagina se a pessoa tiver uma mente "fechada", se torna impossivel.

Obrigado pela visita e comentario e um grande abraco!