O animal satisfeito dorme (Guimarães Rosa)

domingo, 2 de agosto de 2009

Inesperado versus Esperado = Esperado

No começo do Brasileirão os "maravilhosos (?) comentaristas" diziam que o São Paulo seria um dos favoritos ao titulo da competição, o Vitória para eles era mais um time nordestino que faria parte do grupo dos sacos de pancada, infelizmente para estes, e felizmente para o futebol brasileiro, não só o Vitória como também Sport e Náutico estão honrando e jogando bem no Nordeste.

O Vitória entrou hoje em campo, com vários desfalques, apresentando um 3-4-3 defensivo para combater o 3-5-2 do São Paulo de Ricardo Gomes. Na defesa a equipe Bahiana usou três zagueiros e o São Paulo apenas dois atacantes, logo sempre ficava um zagueiro na sobra, era comum, então, ver principalmente Fábio Ferreira ou Wallace livres para o avanço.

No meio Magal e Vanderson são bastante parecidos, ambos marcam bem e ajudam de forma efetiva nos contra-ataques, tabelas e aproximação dos jogadores de ataque, esse estilo dos volantes pode ser ampliado até o lateral Jackson, praticamente mais um volante, que apesar de ágil e excelente desarmador pouco fez, a não ser tentativas de lançamento áereas para Apodi. Na outra lateral Leandro foi mediano, não comprometeu a defesa e manteve-se bem posicionado, formando assim o quarteto de "volantes".

Sem poder utilizar Roger, cláusulas contratuais, Carpeggiani improvisou no ataque o meia Leandro Domingues e o ala Apodi, que são os cabeças do time. O ataque fracassou, não porque fosse ruim, mas por o Leão não dispor de ninguém com criatividade para armar as jogadas e fazer a bola chegar redonda para os atacantes, como dito, os dois que deveriam fazer isso foram posicionados no ataque, apesar disso Leandro Domingues ainda tentou alguns chutes e Apodi cruzamentos, chances que por falta de sorte não terminaram em gols.

Contudo, o maior mérito nessa derrota do Vitória foi segurar e contra-atacar o São Paulo, veja o diagrama abaixo:

Jackson impossibilita as penetrações do perigoso lateral Júnior César pela esquerda, que como já analisamos é importante por ser o único lateral e muito forte no apoio, Magal e Vanderson pegam Hernanes e J.Wágner, que são os sistematizadores do time paulista, e o lateral Leandro se fixa em Jean, que é um habilidoso 2ª volante, quando ele ataca, isso sem contar o zagueiro permanente na sobra para atacar. Comos vocês podem perceber o único jogador do São Paulo livre é o 1ª volante Eduardo Costa, como ele não progredia não precisava se preocupar em marcá-lo. Essa fácil marcação, no entanto, tem mais haver com Ricardo Gomes que não corrigiu a falha do que com sagacidade bahiana.

Jogando nesse 3-4-3 defensivo sem laterais apoiadores e praticamente com quatro volantes o Vitória conseguiu marcar todos os jogadores importantes do Tricolor paulista, meio que anulando o oponente, e aproveitou ao máximo os contra-ataques, visto que o time é rápido, e os chutes de fora da área. Apesar das 14 finalizações rubro-negras, segundo o site globo.com, a bola não entrou e em uma das poucas chances do São Paulo Adalberto fez o gol que decretou a vitória. Futebol é assim: Nem sempre o melhor vence.

2 comentários:

Breiller Pires disse...

O sistema defensivo e a marcação do Vitória foram eficientes no jogo contra o São Paulo mesmo, João. Aliás, excluindo o jogo contra o Avaí, a defesa do Leão - auxiliada pela ótima fase do goleiro Viáfara - vem se portando bem durante todo o campeonato.

Num lance isolado, e de muitos méritos do Dagoberto, o São Paulo marcou. O Vitória sentiu a falta do Roger, um centroavante de presença de área. E o Apodi como ponta não funcionou tão bem quanto na lateral. Mas tem time para brigar lá na frente no Brasileirão.

Abraço!

João Henrique disse...

É verdade, Breiller. Parece que o trio de zaga titular composto por Victor Ramos, Anderson Martins e Wallace já jogam juntos desde as categorias de base, o que ajuda, sem dúvidas, na questão do entrosamento. O Apodi na ponta realmente não deu certo, ele é bom na corrida, lançamento, sabe penetrar legal... Mas, aí, querer que ele seja atacante já é demais.
Com certeza o Vitória tem time para brigar pelo menos entre os 7 ou 8 primeiros, ainda mais depois dessa nova lei que impossibilita transferências após sete jogos, isso vai ajudar bastante a manter o elenco dos times menos favorecidos. Abraço!